Opinião de especialistas do setor

Avanços na tecnologia de etiquetagem podem ajudar a garantir o sucesso da rastreabilidade e das iniciativas de serialização


Por Bob Neagle, gerente da unidade de negócios de embalagens secundárias da Videojet Technologies
 

Analistas do setor estimam que o setor farmacêutico recentemente ultrapassou US$ 1 trilhão de rendimento em todo o mundo 1 .Mercados emergentes estão gerando uma participação desproporcional de crescimento do setor, portanto eles devem levar em conta uma estimativa de 30% do total de vendas até 2016 2 . No entanto, uma ameaça iminente à vista é o problema crescente de medicamentos falsificados que, de acordo com uma estimativa pelo Center for Medicine in the Public Interest (Centro de Medicamentos de Interesse Público), já excedeu US $75 bilhões ou cerca de 7,5% do total de vendas3. Para proteger a cadeia de suprimentos farmacêuticos, muitas empresas farmacêuticas implementaram ou estão em processo de implementar soluções de embalagens serializadas que fornecem rastreabilidade total e segurança da cadeia de suprimentos para garantir a integridade do produto e a segurança do paciente. A precisão de codificação e a tecnologia de marcação são essenciais para garantir a etiquetagem precisa que garante o sucesso das iniciativas de serialização e evitam o risco de recolhimentos de produtos e multas. Os avanços na tecnologia de etiquetagem podem ajudar os fabricantes farmacêuticos a atender aos requisitos normativos, ao mesmo tempo em que aprimoram a integridade da marca e a segurança dos consumidores.

O setor farmacêutico atualmente está passando por um crescimento forte de rendimento com ganhos anuais projetados variando de 4% a 7% globalmente e 5% a 8% para o mercado norte-americano durante o período de tempo de 2013 a 2018. Por outro lado, espera-se um crescimento nos mercados emergentes durante esse mesmo período em uma média de 8% a 11%. Com essa tendência, a China já passou Japão para se tornar o segundo maior mercado farmacêutico4. Junto com esta oportunidade, o setor está enfrentando uma série de desafios difíceis com um dos maiores sendo problemas envolvendo a segurança da cadeia de suprimentos, como falsificação, roubo, devoluções de produtos e atrasos de transporte. A Organização Mundial da Saúde estimou que 10% da cadeia global de produtos farmacêuticos é falsa, incluindo uma estimativa de 30% do mercado em nações emergentes. Além disso, o provedor de serviços de segurança de logística Freight Watch International, líder em segurança de logística, recentemente informou que o número de roubos de carga de produtos farmacêuticos nos EUA teve um salto de 50%, 33 por ano, com uma média de perda de US$ 261,819.

Para enfrentar esses desafios, muitos países têm aprovado algum tipo de requisito para a rastreabilidade de produtos farmacêuticos em toda a cadeia de suprimentos. Como um exemplo de caso, a diretiva da UE 2011/62/UE exige que todos os produtos farmacêuticos distribuídos dentro da UE tenham um número de serialização ou um código exclusivo impresso em cada pacote que permite que os produtos sejam rastreados em toda a cadeia de suprimentos, até suas origens. Da mesma forma, nos EUA, a Lei de Segurança e Cadeia de Suprimentos de Medicamentos (DSCSA) exige que os fabricantes de medicamentos, reempacotadores, distribuidores atacadistas e distribuidores troquem informações de transações que permitam a verificação de medicamentos pelo número de lote. A lei impõe um prazo até 2017 para os fabricantes de medicamentos atualizarem suas linhas de produção para possibilitá-los a imprimir números de série exclusivos em embalagens de produtos e requer a implementação da codificação eletrônica capaz de rastrear medicamentos da fábrica até a prateleira da farmácia até 2023.

As principais nações de mercados emergentes também têm realizado etapas para abordar a serialização farmacêutica. O Brasil estabeleceu regras para a rastreabilidade de medicamentos que exige que todos os fabricantes farmacêuticos forneçam a serialização e dados de acompanhamento combinados com texto claramente legível que inclui um identificador exclusivo do produto, registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) do Brasil, data de vencimento e número de lote. A Argentina, por outro lado, adotou padrões desenvolvidos pela GS1, uma organização internacional sem fins lucrativos dedicada à segurança de cadeia de suprimentos, que exige códigos de barras contendo números de série exclusivos e um Número de Identificação de Comércio Global (GTIN), a ser impresso na menor unidade de pacote individual de venda.

A precisão de codificação e a tecnologia de marcação desempenharão um papel fundamental em atender esses requisitos por meio da geração de códigos que podem ser facilmente lidos por leitores de ID e pessoas em toda a cadeia de suprimentos. As soluções de serialização e de codificação precisam oferecer a mais alta qualidade legível por máquinas e pessoas independentemente do tipo de embalagem. Atender às novas regulamentações exigirá uma tecnologia de impressão que seja capaz de fornecer mais dados, de forma mais confiável, em espaços menores. Os códigos de serialização precisam ser aplicados em diferentes níveis de embalagem, incluindo embalagens primárias, como blísters e garrafas, embalagens externas, como caixas de papelão e embalagens terciárias como paletes. Para enfrentar esses desafios, as empresas farmacêuticas estão investindo na eficaz, inovadora e confiável tecnologia de codificação, marcação e impressão de dados variáveis que permitirá a eles estar de acordo com os requisitos de serialização enquanto aumentam a eficiência de produção e maximizam o uptime.

A tecnologia de impressão e aplicação de etiquetas (LPA) é uma área que fornecedores farmacêuticos estão buscando melhorias tecnológicas. Embora a tecnologia LPA tenha permanecido amplamente inalterada por quase 20 anos, inovações apareceram recentemente, como a tecnologia Intelligent Motion™ no sistema LPA da Videojet 9550 que controla precisamente o caminho da etiqueta para manter a tensão adequada sem a necessidade de tamp ou aplicação de sopro de ar. Esse avanço elimina uma etapa do processo, reduzindo o tempo e os recursos necessários para realizar o trabalho. A máquina é controlada automaticamente para ter maior precisão e requer substancialmente menos peças de desgaste, minimizando a necessidade de reparo e substituição. A redução resultante nos requisitos de serviço aumenta a taxa de produção e reduz as despesas com manutenção.

O tipo de método de aplicação de etiquetas também determina se é necessário ar da planta ou não. Aplicadoras Direct apply ou de "limpeza" não necessitam de ar, eliminando, assim, o custo de instalação da linha de ar e os custos de execução contínuos. A eliminação do uso de ar da planta também está alinhada com muitas iniciativas de sustentabilidade das instalações de fabricação, como a redução do uso de energia e a diminuição das emissões de dióxido de carbono (CO2).

A capacidade de imprimir informações variáveis em altas velocidades é essencial para a serialização farmacêutica. A 9550 LPA soluciona esse desafio com um design simplificado que oferece uma produção máxima de até 150 embalagens por minuto para etiquetas de código de barras típicas de 4x6 pol. de GS1. Uma interface touchscreen fácil de usar e intuitiva reduz erros de codificação e aumenta a eficiência geral. Além disso, a 9550 LPA pode facilmente ser integrada às linhas de produção farmacêuticas automatizadas para impressão e aplicação de etiquetas em caixas que contém informações agregadas sobre o produto em qualquer dos conteúdos do pacote.

Iniciativas de serialização e rastreabilidade globais são essenciais para evitar falhas na cadeia de suprimentos, como falsificação, roubo, devoluções e atrasos que podem colocar a segurança do paciente em risco. Os avanços na tecnologia de etiquetagem permitem que os fabricantes farmacêuticos atendam aos requisitos normativos e fortaleçam suas cadeias de suprimentos em todo o mundo. As empresas farmacêuticas devem fazer parcerias com os fornecedores de tecnologia de rastreabilidade que têm uma grande variedade de conhecimento técnico, equipamentos e suprimentos para fornecer soluções personalizadas sob medida para atender às suas necessidades. Esse tipo de parceria pode fornecer melhorias na segurança do paciente, na integridade da marca, na velocidade de etiquetagem e na eficiência que traz benefícios para todos os participantes incluindo pacientes, reguladores e fabricantes.

Faça o download do catálogo de impressão e aplicação de etiquetas da Videojet 9550 para obter mais informações.





Você achou isso útil?
Inscreva-se e mantenha contato com as mais recentes novidades de codificação farmacêutica

Contate a Videojet

Ligue para a Videojet:

Vendas: (11) 4689-7272

Serviços & Suporte: (11) 4689-8822

Fale com um especialista

Envie um e-mail p/ Videojet

Siga a Videojet:

© 2019 Videojet Technologies, Inc.